Boas práticas de gestão para aplicar na sua empresa

Nem tudo o que você acredita saber sobre gestão de empresas basta para alcançar o sucesso no dia-a-dia de um empreendimento. É preciso buscar sempre boas práticas de gestão para aplicar na sua empresa.

 

Se lhe parece suficiente para estabelecer um negócio no varejo ter consciência de que é preciso comprar bem, garantir estoques suficientes, vender para pagar as contas em dia e manter a roda girando em nome da continuidade do empreendimento, isto não basta.

 

O funcionamento de uma empresa requer inúmeras outras ações, considerando que a gestão de um negócio tem como objetivo garantir o seu sucesso por meio de iniciativas voltadas à organização de todos os setores.

 

Para isto é fundamental trabalhar com base em um planejamento bem feito com metas muito claras para períodos específicos ao longo da existência do negócio. E neste aspecto será necessário considerar a coordenação adequada de recursos financeiros, tecnológicos e humanos.

 

O perfeito alinhamento das ações evitará erros e conduzirá a gestão da empresa para alcançar o esperado resultado positivo.

 

Neste artigo, você verá 7 tópicos abordando as boas práticas de gestão que precisam ser consideradas para gerenciar uma empresa sem cometer erros que provocam o insucesso de grande parte dos empreendedores.

 

O modelo de gestão não precisa estar preso a exemplos existentes de forma engessada, mas nunca é demais se espelhar em boas referências para poupar tempo e energia que poderiam ser gastos desnecessariamente em uma experiência baseada em tentativas e erros.

 

O primeiro ponto é ter consciência do quanto é complexo gerenciar uma empresa, coordenando setores distintos para um objetivo comum, mas quando há disposição para superar os obstáculos com disciplina e dedicação as coisas acontecem.

 

Para contribuir nesta jornada, apresentamos abaixo algumas ideias de como organizar cada passo nesta caminhada que não tem fim.

 

Tenha um plano

Esta parece uma dica óbvia, mas muitos empreendedores iniciam seu negócio sem ter um plano e com uma grande dose de desconhecimento sobre o setor em que pretendem atuar. Dados do Sebrae apontam que mais de 60% das empresas que encerram suas atividades têm seu fracasso motivado pela falta de planejamento.

 

O plano estratégico precisa ser necessariamente o embrião de uma empresa, com uma análise profunda do mercado, considerando concorrentes, fornecedores, clientes e outras informações necessárias para embasar a tomada de decisão sobre o investimento. É, na prática, a primeira boa iniciativa gerencial.

 

É neste documento que você define seu objetivo, realiza um diagnóstico do mercado, estabelece metas e embasa seus passos. O Sebrae geralmente disponibiliza vários conteúdos orientando de forma prática sobre como dar os primeiros passos neste sentido.

 

Sozinho não se alcança objetivos

Todo o seu esforço para empreender deve ser impulsionado por colaboradores nas mais diversas funções dentro da empresa. Em maior ou menor número, de acordo com a realidade do negócio e a estrutura necessária para funcionar, todo empreendimento deve ter definidas de forma muito clara as atribuições dos membros do time.

 

Cada colaborador deve conhecer suas responsabilidades diárias, as metas a serem alcançadas e as expectativas da empresa quanto ao seu desempenho.

 

A equipe deve ter o tamanho ideal, sem inchaço do quadro de funcionários nem falta de mão-de-obra que acarrete sobrecarga de trabalho. E principalmente precisa ser qualificada, motivada e compromissada com os objetivos da organização. Certamente, isto reduzirá erros e aumentará o potencial de sucesso.

 

Cuidando do dinheiro

A organização financeira da empresa é o que garante, por exemplo, pagar as contas com fornecedores e o salário dos funcionários em dia, realizar sua retirada e manter o negócio funcionando. Sendo assim, deve receber a atenção compatível com a sua importância para a sobrevivência do negócio.

 

O controle desta área deve ser prioridade absoluta, com o máximo de informações e relatórios acessíveis sobre o volume de dinheiro no caixa, de onde veio o recurso financeiro, para onde vai, gastos com salários, fornecedores, água, luz, aluguel, telefone, impostos e etc... Tudo isto com balanços periódicos que vão retratar a saúde financeira do negócio.

 

O ideal é utilizar um bom software de gestão que garanta o controle da empresa com integração de dados para geração das informações gerenciais e fiscais necessárias.

 

Trabalhar com a ideia de um orçamento mensal pré-estabelecido para cumprir todas as obrigações financeiras é bastante válido porque permite visualizar de forma rápida quando os gastos estão próximos de extrapolar o previsto, agindo para conter o problema.

 

Além, é claro, disto tornar possível visualizar claramente quando o desempenho da empresa estiver satisfatório em relação ao faturamento.

 

Leia também este artigo sobre precificação

 

Conheça o seu cliente

Não saber com quem você está se relacionando no processo de vendas é mais um dos erros fatais de uma empresa. Uma forma de entender melhor a persona [perfil de cliente] para quem o seu negócio direciona as estratégias de venda é segmentar sua carteira de clientes por semelhança, considerando hábitos de consumo, valores gastos nas compras e frequência com que realizam negócios com você.

 

A partir destes dados é possível desenvolver campanhas e abordagens específicas utilizando informações sobre quais são as necessidades destes consumidores e o que eles esperam na relação de negócio com a sua empresa. Com foco, suas ações de marketing alcançarão o ROI [retorno sobre investimento] desejado.

 

Antecipe-se aos problemas

Quando se planeja é possível prever situações adversas e agir por antecipação para evitar que os problemas aconteçam. Para isto, a revisão dos planos deve acontecer periodicamente para comparar se a realidade está condizente com o cenário ideal planejado. Assim, qualquer desvio de rota do negócio pode ser corrigido antes que a situação se agrave.

 

Utilizando seu software de gestão, gere os relatórios necessários para visualizar se os rendimentos esperados estão se concretizando, se os custos se enquadram no que foi planejado, se as metas de venda estão sendo atingidas, se o giro do estoque está satisfatório, se os colaboradores estão cumprindo seu papel, etc...

 

Identificando eventuais problemas, aja para solucionar as causas, compartilhe as informações com sua equipe e reúna os esforços necessários para reordenar o curso do seu negócio.

 

A concorrência faz bem

O sonho de atuar em um mercado onde você possa exercer um monopólio parece retratar o mundo ideal, mas como este cenário é pouco provável, melhor usar a realidade como motivação. A concorrência existe e não deve pautar 100% da sua gestão, mas é vital que você não a ignore.

 

Identificar quem são seus concorrentes também é uma iniciativa saudável de gestão, porque eles fazem parte do mercado. E o comportamento que adotam impacta a realidade do seu negócio, seja pela oferta de produtos, pelos preços que praticam, pela forma como atendem, pelas condições de pagamento que oferecem e até mesmo pelo comportamento, ético ou não, que adotam.

 

Seja qual for a constatação, ter as informações necessárias evita que você seja surpreendido e permite definir estratégias de enfrentamento para superar os concorrentes na preferência dos consumidores.

 

Melhorar nunca é demais

Mesmo que as coisas estejam aparentemente bem, revisar seu plano nunca é demais. As metas estabelecidas e as estratégias adotadas podem se tornar ultrapassadas com o tempo e com isto é necessário mudar a forma de funcionamento da empresa.

 

Quando as avaliações periódicas acontecem, é menor a possibilidade de você ser surpreendido, mas normalmente elas são dedicadas a corrigir questões pontuais. Deixando ainda em aberto a necessidade de realizar uma revisão global do planejamento em intervalos maiores de tempo.

 

Os melhoramentos nestes momentos podem ser fundamentais em toda a empresa ou em setores específicos, como na inclusão de novos produtos e serviços, na inovação da forma de relacionamento com os clientes, no estabelecimento de outros objetivos empresariais ou na relação com os seus colaboradores.

 

O importante é manter-se sempre em movimento, compreendendo que o gerenciamento de uma empresa é um processo dinâmico e repleto de pontos que precisam se interligar para o perfeito funcionamento do negócio.

 

Recapitulando

Neste artigo nós vimos que em boas práticas de gestão é preciso que você tenha um plano, que construa uma equipe coesa, administre bem os recursos financeiros, conheça seu cliente e saiba qual a melhor forma para se comunicar com ele, antecipe-se aos problemas, monitore a concorrência e sempre revise seu planejamento.

 

BAIXE GRÁTIS NOSSO E-BOOK SOBRE COMO ESCOLHER UM SOFTWARE DE GESTÃO

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Veja também
Please reload

Gerencie Melhor é uma publicação de EMC Sistemas, com o objetivo de disseminar informação

gratuita e de qualidade, para a melhoria dos resultados das empresas com dicas de gestão empresarial.

(31) 3851 3838 | marketing@emcsistemas.com.brwww.emcsistemas.com.br

João Monlevade, Minas Gerais - Brasil